TIM VIEIRA FLIX,  Volta ao Mundo

Tim Vieira World Trip #41 | Vamos conhecer a cultura MAORI?

Nova Zelândia tem sido o país que a Família Vieira anda a conhecer!

Também tem sido o país, que temos andado a falar aqui no blog!

Por falar nisso… têm lido os posts? Não percam!

E como tal, não poderíamos deixar de falar da cultura e do povo maori.

 

Fonte: medium.com

Os maoris são o povo nativo da Nova Zelândia.

Foram os primeiros habitantes da Nova Zelândia ou Aotearoa, que significa “Terra da grande nuvem branca”.

Na língua maori, a palavra maori, representa toda uma cultura.

Em lendas e outras tradições, a palavra distinguia seres humanos mortais de divindades e espíritos.

 

Fonte: newzealand.com

Maori tem cognatos em outras línguas da Polinésia, como na língua havaiana e na língua taitiana e todos têm sentidos semelhantes.

Normalmente quando se vê um neozelandês, imagina-se logo uma pessoa loira, olhos azuis e sotaque britânico.

Mas, quando se pensa no Maori, encontram-se pessoas de cabelos e olhos escuros, feições semelhantes aos demais povos do Pacífico, como os havaianos e como um idioma próprio.

 

Fonte: swaindestinations

COMO TUDO COMEÇOU?

Os maori chegaram à Nova Zelândia há cerca de mil anos.

Vieram a navegar e exploraram toda a região marítima a bordo de barcos e canoas.

Eram guiados pelas estrelas e correntes marítimas.

E foi assim que encontraram a Aotearoa, que no idioma maori significa “Terra da grande nuvem branca”, aquele que hoje conhecemos como Nova Zelândia.

 

Fonte: Tourism New Zealand

Segundo os maoris, o primeiro explorador a chegar à Nova Zelândia foi Kupe, na sua waka hourua (canoa), que partiu da sua terra natal, uma ilha mítica chamada Hawaiki, na Polinésia.

Posteriomente, vários barcos foram chegando, o grupo começou a estabelecer-se, tornaram-se autos-suficientes, com a seu próprio idioma e história.

Actualmente, os grandes chefes das tribos maori acreditam ser descendentes directos de Kupe.

 

Fonte: Newshub

TRATADO DE WAITANGI

O primeiro contacto dos maoris com europeus aconteceu apenas no século XVII.

Anos mais tarde, como tentativa de proteger as suas terras, os maori impuseram aos colonizadores um acordo, redigido pelos britânicos e conhecido como “Tratado de Waitangi”.

Que é tido como a formalidade que fundou a Nova Zelândia.

Com a chegada e permanência dos europeus, os maori foram perdendo muito do que se consideram como donos.

Inclusivamente com a chegada de doenças vindas de outro continente, sem o devido amparo, a população maori foi sendo reduzida e rapidamente tornaram-se uma minoria étnica e excluída socialmente dentro do seu próprio país.

 

Fonte: Culture Trip

ACTUALMENTE

Actualmente os maori constituem cerca de 15% da população da Nova Zelândia.

E, tal como todas as minorias espalhadas pelo Mundo, por muito que a cultura maori seja preservada e respeitada no país, sentem-se sempre marginalizados e lutam por direitos iguais à restante população da Nova Zelândia.

A maioria da população maori da Nova Zelândia vive na Ilha do Norte.

Muitos estabeleceram-se nas periferias de Auckland em bairros humildes, mas a melhor forma de sentir e vivenciar a forma como a arte e cultura maori vive é na cidade de Rotorua.

É uma cidade com inúmeras vilas que estão intactas, com imensas referencias maori ainda em actividade.

Algumas dessas vilas podem ser visitadas por turistas.

Em Rotorua é possível degustar o “hangi”, um prato maori delicioso cozido no calor termal dos vulcões, onde os alimentos são enterrados na terra.

 

Fonte: Base Hostels

ARTE

A arte maori é conhecida mundialmente e muito marcada na Nova Zelândia.

A arquitectura é magnifica, máscaras gigantes em madeira, de entidades sagradas para eles.

Na maioria dos museus da Nova Zelândia, há um grande acervo maori onde se pode contemplar a sua arte.

Os padrões estéticos maori estão presentes em todo o país, em obras de arte, construções, peças de bijutaria, vestimentas e adereços de decoração.

Também as danças têm uma expressão artística muito forte na Nova Zelândia, basta lembrar a haka, a famosa dança da selecção de Rugby!

O maior exemplo de arquitectura maori são os maraes, as casas vermelhas onde se promovem os encontros dentro da cultura maori.

A construção dessas casas é feita para que se assemelhe com um corpo humano e representa um ancestral no seu topo.

As tatuagens também parte parte da cultura e arte maori e têm uma extrema importância.

São o símbolo da sua identidade cultural, reflectindo a sua hereditariedade, onde cada desenho tem a história da pessoa que a tatua.

Só a título de curiosidade, tradicionalmente os homens tinham os rostos tatuados e as mulheres o queixo, quando mais tatuagens um homem tivesse no rosto, maior posição social ele tinha.

 

Fonte: airlineratings

IDIOMA

O idioma é muito parecido com o havaiana, taitiano e samoano, bem como a cultura e símbolos.

 

E por aqui já sabem… os posts vão continuar pela Nova Zelândia!

 

Créditos da fotografia de destaque: Wikipedia

 

Não se esqueçam de ficar desse lado a acompanhar a Volta o Mundo do Tim Vieira com a família!

 

Até já, ou melhor… até ao próximo episódio!

 

O ponto de encontro é aqui:

Blog Até Já!

Facebook

Instagram

 

E quem quiser subscrever a Newsletter do Até Já, receberá notícias no e-mail sobre esta viagem!

Explico em baixo como se faz a subscrição gratuita.

 

Para assistir à Tim Vieira Flix – Volta ao Mundo clique aqui!

 

Nota Importante:

Se alguma Agência de Viagem, Operador Turístico, empresa ligado ao sector das viagens e do turismo ou qualquer meio de difusão quiser usar este ou outro conteúdo meu, agradeço que me peçam autorização e que usem os devidos créditos.

 

 

Se quiser receber a Newsletter do Até já,  basta inscrever-se na barra lateral lado direito.

Fico feliz por estarmos mais perto!

 

 

 

Já me seguem nas redes sociais?

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *