DESTINOS,  ROTEIROS & DICAS

ROTEIRO de 3 dias em HAMBURGO

Depois de ter feito vários posts sobre Hamburgo aqui no blog, hoje partilho o tão esperado Roteiro de 3 dias.

Muitas foram as pessoas que me escreveram cheias de curiosidade sobre esta cidade e a pedirem roteiro pois estão a pensar visitar.

Agradeço desde já a vossa confiança e não imaginam no quão feliz fico por sentir que vos consigo influenciar a visitar sítios tão bonitos onde fui tão feliz.

Fiz este post com muito cuidado para que nada falhasse, espero que gostem.

Aqui fica o:

Roteiro de 3 dias em Hamburgo

Dia #1 – Centro da Cidade

Stephansplatz

Não, não é a principal praça de Viena e não estamos em frente à Catedral de Santo Estevão.

É a Stephansplatz de Hamburgo e recebeu o nome do diretor dos correios do Império Alemã, Heinrich von Stephan, conhecido por seu papel na fundação da União Postal Universal – a agência da ONU para a harmonização do serviço de correios.

 

Parque: Planten un Blomen

Bem perto fica o Planten un Blomen, que é o maior parque da cidade, localizado no centro, atraindo muitos locais e turistas para passear e relaxar.

A entrada é gratuita e é conhecido pelos seus espectáculos de água e luz que decorrem de Maio a Agosto, às 22h e em Setembro às 21h.

O parque está organizado por regiões, tendo por exemplo, uma parte dedicada ao Mediterrâneo ou um jardim tropical.

Um dos locais mais emblemáticos é o jardim japonês, o maior da Europa.

Não deixe de visitar também o jardim das rosas com mais de 300 tipos de rosas, as quedas de água e a estufa com plantas das mais diversas zonas climáticas.

Dentro do Parque pode-se encontrar a pista de gelo INDOO Eisarena durante o inverno até março de cada ano.

 

Collonaden

Regresse à Stephansplatz e desça em direção ao lago Binnenalster, através da Colonnaden, que é uma rua comercial que liga, em diagonal, a Stephansplatz à Jungfernstieg, a marginal junto ao lago.

A Colonnaden é atualmente uma rua, sobretudo pedonal, e tem uma rica tradição e foi apelidada de “Prachtmeile” (“milha esplendorosa”).

A maioria dos edifícios é de arquitetura neo-renascentista do século XIX e o lado nordeste da rua é formado por arcadas.

 

Jungfernstieg

A Jungfernstieg é minha rua preferida de Hamburgo.

A marginal da cidade estende-se por cerca de 600 metros ao longo das margens sul e sudoeste do lago Binnenalster e continua até Gänsemarkt.

A principal praça da cidade, a Rathausmarkt, fica também ali tão perto.

Toda a circunferência do lago é ocupada por um terraço/esplanada.

A margem do lago é também um terminal para os barcos que fazem passeios no lago.

Aproveite para almoçar numa esplanada em frente ao lago ou, se não tiver tempo, para comer um gelado.

Fiz as duas coisas e adorei!!!

Hamburger Ehrenmal

No fim da praça e no caminho para o lago, há um monumento chamado Hamburger Ehrenmal.

O Memorial de Hamburgo, oficialmente: Memorial aos Caídos de ambas as Guerras Mundiais é uma estela com a mãe de luto pelo filho.

O relevo foi criado em 1931 por Ernst Barlach em memória dos mortos da I Guerra Mundial.

O arquiteto foi Klaus Hoffmann. Na inscrição alemã “Vierzigtausend Söhne der Stadt ließen ihr Leben für Euch, 1914–1918” significa “Quarenta mil filhos da cidade deixaram as suas vidas por você” e gerou muita controvérsia política no momento em que foi edificado.

O relevo foi removido em 1938 pelos nazis e substituído pelo motivo de uma águia nascente, de autoria de Hans Martin Ruwoldt.

Após a II Mundial, a imagem foi reconstruída pelo pedreiro Friedrich Bursch e o monumento passou a ser um memorial para relembrar as duas guerras mundiais.

 

Rathaus

O coração da cidade é o  A Praça do Rathaus (Rathausmarkt em alemão) é, como o nome indica, a praça em frente à Rathaus (Câmara Municipal).

Nesta praça irá ficar boquiaberto com o edifício palaciano da Rathaus construído entre 1886 e 1897 em estilo neo-renascentista cujo portal, na base da enorme torre, é adornado com esculturas de 20 imperadores.

Os telhados são bastante inclinados.

O edifício é o centro político da cidade, que é, simultaneamente, um Estado da Alemanha (a Alemanha é uma república parlamentar composta por 16 estados federados), pelo que o Presidente da Câmara tem também funções de governador/primeiro-ministro do Estado.

O edifício alberga os gabinetes dos deputados do Estado e do Presidente da Câmara.

A sua construção é bastante central e pode ser visto de diferentes ângulos da cidade.

Está tão bem localizado que todos os dias que estive em Hamburgo passámos por esta zona.

Ou seja, não faltarão oportunidades para o apreciar.

Junto a esta praça encontram-se as Arcadas do Alster (Alsterarkaden), de estilo veneziano ao longo do Kleine Alster, que acolhem as mais luxuosas lojas e os mais requintados restaurantes e cafés de Hamburgo.

Do lado do lago podemos apreciar a sua bela paisagem rodeada dos mais imponentes edifícios da cidade.

Se tiver com pressa na cidade, acredito que não queira perder o seu tempo a visitar o interior do Rathaus, mas, com tempo, uma visita ao anterior irá valer a pena.

O início da sua visita começa no hall de entrada que é decorado com 16 pilares com representações de personalidades importantes de Hamburgo.

A partir daí toda a visita segue por entre corredores, câmaras e salas revestidos com pinturas e retratos antiquíssimos.

Uma das zonas mais importantes é a Phoenix Hall que representa o ressurgimento por entre as cinzas após 1842, ano do grande fogo que também atingiu o Rathaus.

 

Café Paris

Com um ambiente muito agradável, uma decoração maravilhosa, um atendimento impecável e uma qualidade excecional, onde tudo é simplesmente delicioso, não poderá perder o melhor café da cidade.

Pode apreciar uma refeição, mas também pode ficar por um lanche, ou simplesmente, por um café ou cappuccino.

Saint Petri

A data da edificação de Saint Petri remonta ao século XI fazendo desta a igreja mais antiga de Hamburgo.

Em 1842 abateu-se sobre a cidade um grande incêndio e parte da igreja foi consumida pelo fogo tendo restado apenas algumas paredes.

No entanto, a peça mais importante sobreviveu até aos dias de hoje.

Trata-se da icónica cabeça de leão em bronze, símbolo de Hamburgo e a mais antiga peça de arte da cidade que embeleza a porta esquerda da entrada principal.

Também é possível subir ao topo da torre desta igreja com 133 metros por apenas 3€. Prepare-se para os estreitos 544 degraus que te levam até ao topo onde a vista fará com que digas que valeu a pena o esforço.

 

St Nikolai (Memorial)

O Memorial St Nicolai é um local bastante impressionante.

Trata-se de uma antiga igreja, com mais de 800 anos, que, inicialmente, era apenas uma pequena capela.

Transformou-se em ruínas devido aos fortes bombardeamentos de que foi vítima em 1943, durante a II Guerra Mundial.

E ali está para que ninguém esqueça os horrores da época.

É possível apreciar algumas fotografias de como era este edifício antes da sua destruição e contemplar esculturas em memória dos que aqui perderam a vida.

Existe também um museu e é possível subir a torre através de um elevador envidraçado.

 

St Pauli: a) Reeperbahn

À noite pode visitar um dos bairros mais famosos da Alemanha (St Pauli).

A fama deste bairro advém da sua equipa de futebol, considerada a equipa mais heavy-metal da Alemenha, que tem a particularidade de entrar em campo, nos jogos em casa, ao som de AC/DC.

Mas mais do que o clube, a fama de St Pauli advém da sua Reeperbahn, a red-light district de Hamburgo.

É uma das zonas mais alternativas da Europa e há até quem lhe chame “a milha mais pecadora do Mundo” onde, além de sex-shops, encontramos todo o tipo de bares, lojas de cariz bizarro, cinema para adultos, casinos, casas de alterne, clubes de strip, teatros e até 2 palcos em cada uma das pontas da rua que animam a noite nesta zona.

A prostituição é bem visível nesta rua e as mulheres semi-nuas convidam quem passa a entrar nos clubes, cujo interior se encontra oculto aos olhos dos transeuntes, aguçando ainda mais a curiosidade.

 

b) Kaiserkeller e Beatles-Platz

Kaiserkeller é um clube de música no bairro de St. Pauli, perto da Reeperbahn.

Foi aberto por Bruno Koschmider em 14 de outubro de 1959.

Foi aqui que os Beatles chegaram praticamente anónimos em 1960, mas que, após milhares de horas de palco, ganharam traquejo e atingiram um nível incomparável de excelência.

 

Dia 2: Antiga Zona Portuária

Porto de Hamburgo

O Porto de Hamburgo foi fundado em 1 189 e está localizado no rio Elba.

É carinhosamente apelidado de “Porta para o Mundo” e é o maior porto da Alemanha e o 2.º mais movimentado da Europa.

Para o crescimento desta cidade do Norte da Alemanha muito contribuiu a importância que, desde sempre, teve o porto de Hamburgo como importante entreposto entre a Alemanha e o exterior e fundamental para as exportações das muito competitivas indústrias alemãs do automóvel, química e metalúrgica.

Hoje Hamburgo tem o 2º maior porto da Europa, apenas superado pelo de Roterdão, na Holanda.

Mas hoje o porto de Hamburgo não é só um importante local de movimentação de cargas, mas também dispões de três terminais de cruzeiros, de onde partem cruzeiros para os Fiordes da Noruega, para a Escócia e Islândia, para o Reino Unido e Irlanda do Norte, para a Bélgica, Holanda e norte de França ou, para leste, para as Capitais Bálticas.

 

Hafencity

Foi formalmente estabelecido em 2008 e também inclui a área histórica de Speicherstadt (a “cidade de armazéns”).

Na zona do porto de Hafencity está a ocorrer uma renovação urbana similar á que aconteceu em Lisboa na zona da Expo-98/Parque das Nações.

Já há muitos edifícios novos, mas continuam-se a ver gruas por todo o lado.

Na realidade, é considerado o maior projeto de redesenvolvimento urbano na Europa em terra firme (aproximadamente 2.2 quilómetros quadrados na área “Grosser Grasbrook” do antigo porto franco de Hamburgo está sendo revitalizada com novos hotéis, lojas, edifícios de escritórios e áreas residenciais.

 

Warehouse district: Speicherstadt

Speicherstadt, que é literalmente uma cidade de armazéns, a maior do mundo na qual todos foram construídos sob alicerces de madeira entre 1883 e 1927.

Speicherstadt desde 2015 está classificada como Património Mundial da UNESCO, juntamente com a zona adjacente de Kontorhausviertel e de Chilehaus, “exemplificar os efeitos do crescimento rápido no comércio internacional no final do Século XIX e início do Século X.

Também conhecida pelo seu nome em inglês Warehouse district é normal ver se por ali muita gente a passear em torno dos canais de água e nas zonas dos armazéns, também verá muita agitação normal dos negócios e industrias que por lá estão assentes.

Ao percorrer a zona da Warehouse District vai encontrar dezenas de edifícios com fachadas totalmente em tijolo num vermelho velho, mas também aquela zona serve atualmente para muitos museus, sedes de importantes empresas nacionais.

 

a) Museu Marítimo

Num desses edifícios encontra o Museu Marítimo.

Mais do que um museu enorme e fascinante, o Internationales Maritimes Museum Hamburg tem uma história incrível, que começa com uma coleção pessoal e com a paixão de um menino pela navegação.

Com os seus mais de 10 mil metros quadrados, é uma das atrações mais interessantes da cidade de Hamburgo. A começar pela localização: um dos armazéns da histórica Speicherstadt.

O acervo é tão impressionante que mesmo até quem não é muito familiarizado com o assunto, consegue se encantar por tantos detalhes e descobertas que o local tem a oferecer.

 

b) Museu Miniatura

A Miniatur Wunderland é uma miniatura de um caminho-de-ferro que ocupa uma área de 1 150 m². Nela, aproximadamente 700 comboios percorrem um trajeto, emulando cenários dos EUA, Suíça, Escandinávia e Alemanha.

 

Elbtunnel

Se quer ter uma experiência diferente percorra o Elbtunnel, um túnel que fica a 12 metros de profundidade do rio Elba e que permite passar para a atual zona portuária do Porto de Hamburgo, do outro lado da cidade.

Tem um comprimento de 426.50 metros. Existe um elevador para pessoas e bicicletas e outro para carros. E caso o elevador para pessoas e bicicletas estivesse avariado, a gente tem sempre esta pequena/grande escadaria para descer e subir.

 

Elbphilharmonie

O principal marco de HafenCity é a sala de concertos Elbphilharmonie, inaugurada em janeiro de 2017.

É uma estrutura que se assemelha a uma onda de água e toda envidraçada no final da zona Speicherstadt (Warehouse District).

É uma das maiores e mais acusticamente avançadas salas de concerto do mundo.

É popularmente apelidado de Elphi.

Poderá subir ao topo do edifício para aproveitar uma impressionante vista sobre a cidade e o Elba.

 

Dia #3 – Altona, Igrejas, Barcos e Passeio no Alster

Rathaus de Altona

Afastando-nos um pouco do centro da cidade, dirija-se até ao bairro de Altona, que faz parte de Hamburgo desde 1937.

Antes era uma cidade independente.

Por isso, muitos dos residentes consideram-se, ainda hoje, habitantes apenas de Altona e não de Hamburgo.

Neste local é de destacar o jardim em frente ao Rathaus (Câmara Municipal), a própria Rathaus e a Dockland (um moderno edifício de escritórios facilmente identificável pelas suas modernas formas, com uma inclinação de 66º fazendo lembrar um barco).

Junto ao Altonaer Balkon (um parque ao longo do rio Elba onde turistas e locais aproveitam para descansar nos bancos, outros para andar de bicicleta, correr ou simplesmente desfrutar das melhores vistas sobre a cidade).

 

Fischmarkt

Em Altona, junto ao Elba, existe um mercado de peixe muito conhecido dos habitantes – o Fischmarkt.

Claro que não vende só peixe, mas também frutas, flores, roupas e muitas recordações da cidade.

Tem a particularidade de só abrir ao domingo de manhã.

É, simultaneamente, o encontro tanto de gente que acorda para ir comprar algo ou para os jovens que foram sair à noite e terminam ali a comprar umas sandes de peixe.

O horário é entre as 5h00 e as 9h30 no verão e no inverno entre as 7h00 e as 9h30.

 

Madonna Seafaring

Perto do Fischmarkt, na marginal sobre o rio Elba, poderá encontrar mais um memorial, um monumento de bronze que honra homens e mulheres que se perderam no mar – Madonna Seafaring.

Nos últimos cem anos, quase 26 000 marinheiros da região, quer de pesca, quer da marinha mercantes, perderam a sua vida no mar.

A escultura retrata uma figura feminina encolhida, encarando rigidamente o horizonte em direção ao Elba e ao lago.

 

Barcos

Ao longo da marginal junto ao Elba é possível visitar vários barcos-museu.

Rickmer Rickmers: é um veleiro, de três mastros, ancorado como navio museu no porto de Hamburgo; quando era denominado de Sagres serviu como navio-escola da Marinha Portuguesa, entre 1927 e 1962.

Cap San Diego: o maior barco-museu do mundo.

U-434: um submarino russo construído em 1976 e utilizado como espião para operações secretas no território dos EUA; hoje funcionar como um museu.

Barco típico do Mississípi: faz lembrar as aventuras de Tom Sawyer, de Mark Twain.

 

Igreja St Michaelis

A Igreja de St Michaelis, com centenas de anos de história é uma das cinco principais igrejas da cidade e talvez a igreja mais famosa de Hamburgo.

Construída e destruída várias vezes é dedicada a S. Miguel Arcanjo como se pode constatar logo na entrada principal pela magnífica estátua com os seus pés sobre Satanás, mostrando o seu triunfo perante o mal.

No interior da igreja destaca-se o elegante púlpito feito de mármore e o relicário.

Por 5€ é possível visitar a torre com mais de 130 metros onde se pode desfrutar de uma vista deslumbrante sobre a cidade como, de resto acontece, nas restantes principais igrejas.

A vista panorâmica de 360º que é possível ter é imperdível.

Consegue alcançar zonas como o lago Alster, o porto de Hamburgo e o rio Elba. A visita é feita de elevador, mas terá um percurso de 52 degraus até chegar ao topo do observatório.

Mas vale bem a pena o esforço!

 

 

Igreja Santa Catarina

Ao passar naquela zona vai encontrar junto aos canais e atravessando alguma ponte a Igreja Santa Catarina (Hauptkirche St Katharinen) que é uma das cinco principais igrejas luteranas de Hamburgo.

É uma construção que remonta ao século XIII e depois de tantas guerras, fogos e destruições é considerada o segundo edifício mais antigo que ainda se encontra preservado em Hamburgo, depois do farol na ilha de Neuwerk.

 

Igreja St Jacobi

A igreja de St Jacobi é também uma das cinco principais igrejas de Hamburgo.

Em 1529, tornou-se uma igreja luterana.

Ele está localizado no centro da cidade, tem uma torre de 125 m de altura e possui um órgão famoso, que foi tocado por Johann Sebastian Bach.

Tendo sofrido danos consideráveis durante os ataques aéreos da II Guerra Mundial, a igreja foi reconstruída em 1963.

 

Passeio de barco no Lago

O Lago Alster é o verdadeiro ex-libris da cidade, trata-se de um lago no centro histórico que foi fundado em 1190 sob as ordens do conde Adolf III e está dividido em Inner e Outer Alster.

Ao longo do lago Alster é possível ver fontes, caminhos para passeios, cisnes, patos e outros animais.

Os habitantes da cidade e turistas utilizam o lago para relaxar e desfrutar do ar fresco.

Naquela zona privilegiada e em volta do lago existem diversos hotéis de luxo e mansões, daí aquela zona chamar-se “costa milionária”.

 

Se quiserem ler mais posts sobre Hamburgo, estão todos aqui:

Hamburgo

 

 

Se quiser receber a newsletter do Até já,  basta inscrever-se na barra lateral lado direito.

Fico feliz por estarmos mais perto!

Créditos das fotografias: Até já!

 

Já me seguem nas redes sociais?

Facebook | Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *